Antes de virmos para cá, fomos bombardeados por pedidos para cancelarmos a viagem, por conta desta epidemia desenfreada que assola a Argentina. Curiosamente, as únicas pessoas que somente desejavam boa viagem e pareciam não estar preocupadas eram nossos amigos que trabalham de alguma forma ligados à área da saúde.

Por aqui, o quadro apresentado é bem diferente do exposto pela mídia sensacionalista. Ver pessoas andando com máscaras na rua é bem raro na verdade. Somente pessoas que lidam mais intensamente com o público e principalmente com estrangeiros (como encarregados da imigração nos aeroportos ou responsáveis pelo setor de saúde, por exemplo) usam máscaras constantemente.

Mas claro, temos tomado cuidados extras. Temos evitado aglomerações, boa parte dos nossos passeios tem sido em lugares abertos e amplos, temos ficado um pouco mais noiados com o nível de higiene (lavamos as mãos com muito mais freqüência e temos usado gel anticéptico com álcool). Parece que está funcionando tranqüilo para evitar problemas, mas caso as coisas piorem, já descobrimos aonde encontrar por aqui o equipamento básico para evitar problemas mais graves:

to boldly go where no pig has gone before

to boldly go where no pig has gone before

Anúncios