Perpetuos

os perpétuos - clique para ampliar

Bom, esta é uma semana produtiva em termos de textos. É assim mesmo. Semanas de idéias e criação e semanas de ócio pensando. Opostos, mas complementares.

Novamente vou citar o Sandman, desta vez um diálogo que ele tem com seu irmão Destruição, outro dos Perpétuos. O texto é da série “Vidas Breves” e é um dos que mais ficou gravado na minha memória:

– – –

Destruição:

“Cumpri o meu papel mais do que adequadamente por dez bilhões de anos, uma moeda de dois lados: destruição é necessária. Nada novo pode existir sem a destruição do velho.”

“As coisas são criadas, duram por algum tempo e desaparecem. Impérios, cidades, poemas e pessoas. Átomos e mundos.”

Ninguém pode iniciar um sonho sem abandonar o último, não é, meu irmão?”

Nossa irmã (Morte) define a vida, assim como Desespero a esperança, ou Desejo a ojeriza, ou Destino a liberdade.”

Sonho: “E o que eu defino pela sua teoria?”

Destruição: “Realidade, talvez?”

Anúncios