No final de semana passado tive o meu exame de faixa no Aikido.

Passei as semanas anteriores treinando especificamente para o dia e fazendo “simulados” no dojo. O que me deixava impressionado era como eu ficava nervoso em cada simulado.

Eu podia passar o treino fazendo de forma tranqüila todos os movimentos da lista, podia estar relativamente confiante de que eles estavam mais ou menos corretos, mas montava-se a estrutura formal do simulado, como seria no dia do exame, e lá estava eu uma pilha de nervos.

Fiquei preocupado de estar nervoso da mesma forma no dia. E assim foi. Cheguei ao dojo central no domingo pela manhã, bastante tenso com tudo.

Antes do exame dos adultos ocorreu o exame de faixa das crianças. Foi aí que me deu o estalo: aquelas crianças estavam lá se divertindo horrores. Não que tudo fosse uma brincadeira, mas essa era a forma que eu deveria encarar. Era para ser divertido.

Então eu relaxei, pois no fundo eu não estava lá para passar no exame. Eu já havia passado. A Sensei Lila nunca teria deixado que eu o fizesse se não estivesse capacitado. Não estava lá para ser aprovado, mas para demonstrar para os outros Senseis o que a Lila havia me ensinado. Então relaxei e fiz uma demonstração “relativamente” tranqüila.

Mas o que mais me impressionou foi o exame de dois dos meus colegas de dojo, que fizeram o exame da faixa verde para a azul. Eles estavam sorrindo o tempo todo que faziam os golpes. Eles estavam se divertindo. E essa é a parte que eu mais quero aprender agora: a praticar o Aikido com olhos de criança novamente.

Anúncios