You are currently browsing the tag archive for the ‘Ibirapuera’ tag.

Este post já está atrasado em mais de uma semana, mas por conta da correria das coisas para viagem, ele foi deixado de lado. Aproveitando que estou aqui visitando o menino pequeno, vou coloca-lo no ar.

Nesta estada do Marcos em São Paulo, aproveitamos para pedalar juntos. Uma das surpresas legais foi ir ao Ibirapuera e entrar em um lugar que sempre tive curiosidade de conhecer : o Viveiro Manequinho Lopez.

O lugar é bem legal, com diversas estufas antigas de plantas. Como estamos no começo da primavera (pelo menos aí no hemisfério sul), estava tudo muito florido e bonito.

E com a volta do Marcos para a Suiça, tive mais uma surpresa legal: ele deixou a bicicleta dele (que é muito melhor que a minha) comigo no Brasil. Finalmente vou ter uma bcicleta boa para as viagens de aventura futuras.

Ibira_bike_1

“Se o meu peito fosse um canhão, meu coração teria sido disparado”.

A frase é inspirada no Capitão Ahab, mas o sentimento de hoje à tarde era meu.

Cabeça cheia, me sentindo inquieto e com as paredes de casa me sufocando. O dia estava nublado e frio, a tarde com um ar estático que me sufocava. Resolvi sair sem rumo.

Bicicleta na rua e ladeira abaixo. Saracoteio por algumas ruazinhas e acabo caindo no Ibirapuera. Diferente do domingo ensolarado, hoje o parque estava quase deserto. Pedalei rápido pelas ruas que travavam meu movimento no final de semana.

Uma volta, duas voltas. Vento e ar frio pulsando nas minhas orelhas e lacrimejando meus olhos. Vontade de fazer algo diferente. Enfiei-me então na trilha em meio às árvores na qual costumo correr. Lama e poças, folhas úmidas que escorregavam como sabão, raízes e galhos que precisavam ser saltados.

Esticando a volta, passando em meio ao planetário, achei uma pracinha que nunca havia notado. Resolvo parar, apoiar a bicicleta, tirar umas fotos e conversar com os gansos.

Hora de voltar para casa, em meio a alguns corredores de final de tarde. Subindo em parte pelo caminho já conhecido e em parte explorando ruelas novas e espaços que sempre tive curiosidade de ver quando passava a pé.

Lama e suor por toda roupa, alma mais calma e contida.

Ibira_bike_2 Ibira_bike_3Ibira_bike_4

Trilha_F

Correndo com o Curupira

Esta semana, migrei de vez meus treinos de corrida do parque da Aclimação para o Ibirapuera.

Diversos fatores convergiram para isso, mas o principal deles é a possibilidade de um treino mais funcional. E bonito, porque não?

Como o parque é grande, existem diversos percursos demarcados. Abaixo uma imagem em alta resolução com os percursos possíveis:

Clique na imagem para ve-la maior

Clique na imagem para ve-la maior

Eu tenho treinado a trilha “F”, que na verdade atualmente está um pouco diferente do mapa, um pouco maior, com 6.000 metros de extensão. É dela a foto do começo do post.

Fora o fato de que é uma delícia correr em uma trilha no meio das árvores (me lembra das trilhas que fiz correndo no Matutu), correr na terra é muito melhor ao meu ver. O impacto nos joelhos é menor, o terreno mais fofo demanda um esforço maior (e conseqüentemente um gasto calórico mais efetivo), as variações de terreno e declividade tornam o exercício mais intenso.

Creio que agora entro na rotina, conseguindo correr pelo menos 3 vezes por semana. Hora de fazer a lista de provas de ruas para os próximos meses.

outubro 2021
S T Q Q S S D
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031